Menu

HISTÓRICO DA UCP

Entre 1940-1942 na Igreja Presbiteriana de S. José Del Rei – MG havia um trabalho diferenciado e direcionado para as crianças denominado Liga Juvenil. Nas tardes de sábado, na casa da diretora Sra. Lavínia reuniam-se os sócios desta Liga. Conta-nos a história que, na sua simplicidade, com poucos e precários recursos a Sra. Lavínia proporcionava horas felizes e dinâmicas às crianças, com brincadeiras, estudos, histórias e deliciosos lanches. Havia reuniões especiais e festivas com vários programas. Anos mais tarde, outra Liga Juvenil foi criada na 1ª Igreja Presbiteriana de Niterói – RJ. No ano de 1978, nasceu a revista – Juvenis por Cristo – que se tornou órgão oficial do trabalho da infância e levava aos líderes toda orientação sobre dinâmica de atividades, idéias, sugestões e lições bíblicas. A revista circulou até o ano de 1995.

Ainda que não se saiba como e quando se iniciou a Liga Juvenil na IPB. sabe-se, contudo que no ano de 1980, numa reunião realizada em São Paulo como a Secretária Nacional do Trabalho Feminino, a Sra. Edna Costa, Tia Custódia e outras lideranças da área, foi proposto trocar o nome deste trabalho para União de Crianças Presbiterianas – UCP. O trabalho de crianças, até então, era vinculado ao trabalho das senhoras, com a direção da Secretaria Nacional de SAFs. Pouco depois, em meados de 1982, foi criada a Secretaria Geral do Trabalho da Infância. A primeira Secretária Geral da Infância foi a Sra. Edna Costa, que já era responsável pela Secretaria de Senhoras. No ano de 1986, foi nomeada a Sra. Angelina Vieira, que ocupou o cargo até 1994, sendo substituída pelo pastor Josué Alves Ferreira que ficou na função até o ano de 2006, sendo substituído pelo pastor Jáder Borges Filho que exerceu a função por quatro anos até 2010. Em 2010 assumiu o pastor José Roberto Rodrigues Coelho nosso atual secretário. 

Os últimos 15 anos foram de muitos avanços na área da infância na IPB. Vários trabalhos surgiram e muitas UCPs foram organizadas, como também suas Federações e em alguns casos Confederações Sinodais. Pela sua excepcionalidade, não há uma Confederação Nacional de UCPs. Podemos concluir que a sociedade interna UCP está fazendo a diferença e impactando a igreja local. Por isso, a SGTI tem como objetivo fortalecer ainda mais as UCPs e oferecer um modelo de trabalho que contenha uma dinâmica de atividades e eventos como: congressos, treinamentos, acampamentos, encontros, campanhas, EBFs em todos os lugares do país. 

O desafio é ir mais além e consolidar definitivamente a UCP nas igrejas locais oferecendo condições adequadas, funcionais e compatíveis com a realidade das crianças. Sendo assim destacamos o que disse Tia Custódia, uma das pioneiras neste ministério dentro da IPB: “Pelas misericórdias do Senhor, durante anos, tendo estado à frente deste trabalho, aqui na minha igreja. Tem sido uma grande bênção na minha vida, muito aprendi e muito me edifiquei ensinando as crianças. O meu grande desejo é que em todas as nossas Igrejas haja UCPs organizadas, ativas e que trabalhem com muito dinamismo preparando as nossas crianças na vida cristã levando-as a seguir e servir ao Senhor Jesus com muito amor. O trabalho é realmente maravilhoso. Que Deus, o nosso Pai, nos abençoe e desperte as nossas igrejas para este tão importante trabalho”.

 

Texto editado pelo Rev. José Roberto Rodrigues Coelho.
Sec. Geral do Trabalho da Infância – IPB.